Rosa de Saron – Horizonte Distante

Publicado: 8 de dezembro de 2009 em Lançamentos e Novidades, Rock Católico


Essa é a primeira resenha de cd que publico no nosso blog, portanto irei caprichar, mas antes de começar a dissecar o novo álbum do Rosa de Saron irei primeiramente fazer uma breve apresentação da banda para os que ainda não conhecem a mesma.
O Rosa de Saron é um dos pioneiros (senão o principal pioneiro) do Rock dentro da igreja Católica. A banda foi fundada no ano de 1988, Pelos então Jovens: Marcelo Machado (Vocais), Rogério Feltrin (Baixo), Eduardo Faro (Guitarra) e Wellington Greve (Bateria). No ano de 1994 a banda lança o seu primeiro trabalho intitulado de “Diante da Cruz” onde a sonoridade era um Heavy Metal altamente pesado, com letras que abrangiam toda a sagrada escritura e temas do cotidiano juvenil. O disco seguinte “Angustia Suprema” segue a mesma formula, e até pela excelente produção é eleito um dos melhores álbuns da banda.
No ano de 2002 a banda troca de Vocalista, e com a entrada do super estimado Guilherme de Sá a banda assume uma nova sonoridade e lançam “Depois do Inverno” seguido do “Casa dos Espelhos” e em comemoração aos 20 anos de carreira lançam o Acustico e Ao Vivo onde de forma sutil fazem uma releitura em toda discografia da banda, com este álbum a banda ganhou reconhecimento nacional, passou a ser ouvida por jovens que nem vinculo com a igreja tem, e tal façanha fez com que a mesma assinasse com a gravadora major Som Livre, onde lançaria o novo álbum.

Pois bem, após essa breve introdução vamos ao que interessa.

Que o Rosa de Saron já havia mudado a sua postura, que o Heavy Metal deu lugar a uma sonoridade Pop, que as letras em tom poético retrata um Deus figurado e não explicitamente mencionam o mesmo, já é de conhecimento de todos que acompanham a banda desde o seu gênese, porém com o Lançamento de “Horizonte Distante” e ao ouvir a sua primeira faixa, nos deparamos sim, com o disco mais fraco de toda a carreira do Rosa de Saron.

 Não me recordo de ter tido uma decepção musical tão grande desde 2003 onde na época as bandas Metallica e Blink 182 lançavam os abomináveis: St Anger e Blink 182 Respectivamente.

Já na abertura, com a canção: “O Sol da Meia Noite” somos surpreendidos com um pop rock jamais feito pelo Rosa de Saron, sem aquela bateria pesada e marcante do Wellington Greve, sem a distorção e o peso da Ibanez do grande Eduardo Faro e até mesmo sem a característica e poderosa voz aguda do Guilherme de Sá que por sua vez executa o cd todo com uma voz rouca e cavernosa que por alguns minutos lembram abominável Marcos Mena do também abominável LS Jack. O restante do cd segue a mesma formula, todas as canções permanecem com o mesmo andamento, com a mesma proposta musical, sem ao menos uma canção acelerada como é de comum nessa nova fase do Rosa de Saron, Entre Aspas, parece querer resgatar toda atmosfera musical já exposta em canções como Casa dos Espelhos, Tudo o Que eu Não Soube Ver, Longe Demais e Amor Sincero, mas não causa o mesmo impacto das citadas acima.
Mesma Brisa é prova de que é possível piorar o que já esta acabado, a batida eletrônica na introdução da canção e o refrão pop pegajoso a lá Panic At The Disco….

As duas únicas canções (em disco de 13 faixas!!!) que me chamaram atenção foram: Invisível e Na Chuva no Fim da Tarde que relembram um pouco a fase “Casa dos Espelhos”.

Balanço final:
Embalados pelo sucesso da turnê acústica, após a assinatura de um contrato exorbitante com uma das maiores gravadoras do país, eu já imaginava um trabalho no mínimo mediano levando em consideração os últimos 3 discos lançados pela banda, porém fui surpreendido com um disco que soa com um único fundamento: Emplacar musicas nas rádios, embalar um casal romântico na próxima novela da Globo, e competir lado-a-lado com as bandas Fresno, Cine e Nx Zero.
Se você fã saudosista do Rosa de Saron, ainda acreditava em uma volta as origens Heavy Metal da banda, com “Horizonte Distante” esse sonho foi enterrado de vez, ou como diria uma grande amiga minha, “ficou em outro Horizonte bem Distante”. Após ouvir esse disco vocês vão descobrir que eram felizes ouvindo “Casa dos Espelhos” e não sabiam.

Já você novo fã, que conheceu a banda nos comerciais do Acústico Ao Vivo veiculados na Rede Globo, ouça sem moderação, afinal esse disco foi feito para vocês. Termino essa resenha (que mais soou como um desabafo de um fã totalmente decepcionado) desejando ao Rosa de Saron, muita paz e luz nessa nova caminhada e que eles não esqueçam o verdadeiro sentido de tudo: DEUS

Nota: 4.0 (Por que fiquei com dó de dar nota menor)

Ao som de Iahweh – Sem deixar de Amar

Anúncios
comentários
  1. Mari disse:

    Eu vou comentar o que? O Novo CD tá uma bosta! Assim como ninguém mais aguentava ouvir o acústico e a historia da menina que ia se suicidar, creio eu que ela deve ter se atirado do penhasco após ouvir esse CD. Não consegui passar da primeira música! Deplorável….
    Aqui jás Rosa de Saron….

    Ahhh como era maravilhoso tudo muito antes do inverno…

  2. Rafael disse:

    O cd novo ta um lixo msm,deviam mudar o nome da banda,pq é um insulto esse som deles atual levar o nome de Rosa de Saron que antigamente era fodastico.

  3. everton senna disse:

    Olha… sou fã do Rosa há muito tempo, desde o Tchelão…

    Inicialmente, tive a mesma impressão sobre o CD. Não me conquistou….

    Mas sugiro que dêem tempo ao tempo. Pois hoje, já acho um ótimo CD.

    A verdade é que houve uma evolução diferente. O Rosa de Saron enxugou exageros, diminuiu a levada pra se enquadrar num rock mais moderno, mas não perdeu a qualidade. Pelo contrário, conseguiu evoluir enxugando o som. Acho melhor assim, do que acresentar mais e mais coisas e de repente estar tocando um som anos 80.

    De negativo fica mesmo o vocal cavernoso do guilherme, talvez a opção mais errada do CD

  4. Ana Cl. disse:

    Devo dizer que não concordo com sua crítica e sim, com o comentário anterior ao meu, rs.
    Eu não sou apegada a muitos termos técnicos, a nenhum termo técnico na verdade..
    Sò posso falar de sensações e eu adorei esse novo Cd.

    Confesso que gostei da chamada “voz cavernosa” do vocalista – ela se encaixa nas letras e na sonoridade de cada uma. “Sol da Meia Noite” tem um quê do Cd Casa dos Espelhos.. não sei explicar, mas é como um efeito eletrônico de repetição, algo assim.. a musica é linda e forte, uma ótima maneira para iniciar o Cd. Cada faixa,cada letra me chamou atenção . “Sobre Marés e Angra” é empolgante! “Mais que um mero poema” é dotada de uma letra franca e reflexiva, “Mesma Brisa”,”Entre Aspas”, “Chuva no Fim da Tarde” e “Velho Outono”, cada uma possui uma particularidade. Confesso que gostei muito. É original e ousado, a meu ver, visto que eles saíram de uma turnê acústica com musicas suaves e retornaram com um estilo totalmente contrário.

    E convenhamos..eu detestava aqueles gritos agudos cheios de “Yeahhhhh-Yeahhhhhh” do Cd Casa dos Espelhos… esse sim, para mim, foi um álbum fraco que teve a ajuda da qualidade de um verdadeiro acústico para salva-lo.. músicas de letras escassas e com muitos gritos e repetições. Exemplo disso é a faixa “Imortal em ti”- 85% da musica é”-AAAAAAALLLL, IMORTAAAAAAALL,AAAALL,YEAH, YEAH”.credo. As mensagens contidas nas letras são importantes, talvez bem mais significativas, mas a sonoridade também decide a qualidade da mesma. Ainda bem, que esse deslize foi superado, rs.

    Enfim..adorei, aprovo e recomendo.
    Minha nota seria um 8,5 com certeza 🙂

  5. gilson disse:

    nossa o rosa está d+; fica com DEUS ROSA

  6. gilson disse:

    Ñ LIGUE O QUE ESSES POVOS FALÃ,ELES Ñ SABEM O QUE FALA.

  7. Fabricio disse:

    Conheci a banda por acaso e adorei, é um bom rock e com boas letras =D

  8. Guilherme disse:

    Concordei 100% com seu texto

  9. Juli disse:

    O novo cd do ROSA ta uma maravilha!!!

  10. bia disse:

    o cd deixa muito a desejar por ser uma banda cristão! nesse novo cd nenhuma musica me leva a orar! pra mim como se vc qualquer outro cd secular!!!
    rosa decaiu muito msm.
    perdeu o foco que é levar Deus as pessoas!

  11. Mari disse:

    É TUDO MARIDA DO GUI!
    Uma tremenda falta de sacanagem!

  12. anaenelo-online disse:

    Aprendi muito

  13. luciana disse:

    rosa de saron eu amo vcs muitoooooooooo
    vcs cantam nt bem
    desde meus 11 anos adimiro vc s mt
    sou uma fa de vcs

    adoroh o cd horizonte distante

    e vc s tambem

    um bjjj

    xauuuu

    y love you`s

  14. Otávio Schreiber disse:

    Não concordo com a crítica da matéria. Toda banda passa por mudanças, inclusive no estilo musical, pra se adaptarem e terem mais facilidade para passar a mensagem deles. Comparar o Rosa com NX Zero e Fresno foi algo inadmissível.
    Tu gosta (ou gostava) do Rosa pelo Heavy Metal ou pela mensagem?
    Antigamente Deus era mais evidente nas músicas, mas como disse, a mudança chama a atenção.Orem bastante, pessam a presença do Espírito Santo e vocês irão encontrar Deus nas músicas. Caso não saibam, o Rosa de Saron se tornou, ainda mais, um banda de Querigma. Depois que entenderem o que é querigma conseguiram entender as músicas.

    Fiquem na Paz do Nosso Senhor Jesus Cristo.

  15. Fábio Martins disse:

    Essa coisa de falar que a voz do Marcus Menna é CAVERNOSA e a banda LS JACK também, é coisa de gente que só enxerga reto. Não enxerga nem pra baixo nem pra cima nem pros lados.
    Meu caro!, não queira comparar uma banda que eu aliás curto muito q é o Rosa de Saron; com o LS Jack. Pois foi á partir desse novo estilo do guilherme á partir do dvd e cd Acústico e ao vivo do Rosa de Saron que eles deixaram de ser uma bandinha de garagem e de retiro espiritual católico para ganhar um mega público.
    Fora que seus insultos em relação ao LS JACK são extremamente ridíiiiiculos!, uma banda que revolucionou!, que fez os brasileiros enxergarem o que é rock de verdade; com uma qualidade única.
    Então dobre a sua língua antes de falar do LSJACK!!!, OK!?.

  16. karine disse:

    Li todo o texto e percebi que quem escreveu foi um grande hipócrita que não reconhece músicas boas, todos temos que evoluir um dia, por que ser sempre igual ? Se o Rosa de Saron teve mudanças é por que ele evoluiu, pra melhor, nas musicas atuais está bem claro que eles cantam pra deus e não pra casais apaixonados, se fossem pra casais não seria uma banda católica, enquanto ao guilherme de sá, é o nelhor cantor que existe, por sua voz, por suas letras, e, principalmente pelo seu coração

  17. […] de suas canções. Na época do lançamento do álbum Horizonte Distante publiquei uma resenha aqui no blog com ácidas criticas ao rumo musical que a banda estava tomando, afinal era eu um jovem […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s