Fila Entrevista “Rosa de Saron” + Review Completo do Show

Publicado: 19 de abril de 2013 em Entrevistas, Rock Católico, Shows

25 anos de carreira, 10 CDs lançados, 3 DVDs (um a ser lançado em breve), e uma porção de canções que mexe emocional da juventude católica. São com esses números tão simbólicos que o Rosa de Saron, principal ícone do Pop Rock Católico realizou uma apresentação memorável  no último sábado, dia 13 de Abril, no Centro de Evangelização Arca da Aliança, na Paróquia Cristo Redentor, na Cidade de Várzea Paulista – SP, em um evento organizado pelos jovens da Paróquia São João Bosco da Diocese de Jundiaí em prol a Jornada Mundial da Juventude.
Guilherme de Sá (Voz, Guitarra e Violão), Eduardo Faro (Guitarra e Violão), Rogério Feltrin (Contrabaixo) e Wellington Greve (Bateria) tocaram por uma hora e meia os seus principais sucessos para alegria de todos os presentes e admiradores do trabalho de evangelização ousado da banda.
Porém, antes desse show eletrizante, batemos um papo com a banda que bastante solícita falou de sua trajetória, da alegria de tocar regularmente em Várzea Paulista, além de detalhes do seu mais novo DVD ainda em produção chamado “Latitude, Longitude”.
A entrevista na integra, você confere abaixo:

Essa já é a quinta apresentação da banda na cidade de Várzea Paulista, podemos então afirmar que o Rosa de Saron é intimo do público varzino?
Rogério Feltrin: Claro, e é bom muito porque a gente está perto de casa (a banda é de Campinas), e todos os shows que fizemos na cidade foram sempre muito legais, então estamos tranquilos.

Há uma semana, o Rosa de Saron gravou o seu terceiro DVD ao vivo, registrando a Turnê do novo disco “O Agora e o Eterno” em Belo Horizonte – MG, como foi o show, e o que podemos esperar desse novo trabalho?
Rogério Feltrin: Foi legal, casa cheia, ingressos esgotados, músicas inéditas e participações especiais, e eu acho que o DVD vai transparecer aquilo que nós sentimos, e a gente está muito otimista pois o Feedback do show foi muito bom, então a gente está na expectativa de que o DVD será exatamente como foi o show.

Falando ainda no “O Agora e o Eterno”, é percebível um amadurecimento muito grande, tanto musical quanto nas letras em relação ao trabalho anterior “Horizonte Distante”, a que se deve isso?
Guilherme de Sá: A gente tenta sempre evoluir de um trabalho á outro, em questão de mixagem, masterização e toda essa “parada” de som, a gente sempre tenta dar um pouquinho mais em relação ao trabalho anterior, e dando assim continuidade ao seu trabalho. O próprio DVD é isso também, se você parar pra pensar o DVD “Latitude, Longitude” ele é quase uma continuação perfeita do “Horizonte Vivo Distante”, então musicalmente a gente procura evoluir pra ter alguma coisa nova para oferecer ao nosso público, porque senão a galera enjoa então a gente sempre tenta da uma mexida em nosso som.

Em meio à crise da indústria fonográfica, o Rosa de Saron é uma das poucas bandas que ainda tem boa vendagem de CDs, qual seria a melhor explicação pra esse “fenômeno”?
Rogério Feltrin: Acho que é a lealdade do nosso público, é um público muito apaixonado, não é um publico da “modinha” que acompanha apenas um hit, é um publico que acompanha o nosso trabalho como um todo, não é do tipo que só ouve a música de trabalho, ele ouve o álbum completo, e é uma característica que explica isso.

O Rosa de Saron foi o embaixador brasileiro da Jornada Mundial da Juventude de 2011 em Madri, chegando até a gravar o cd “Siete Caminos” com músicas do Repertório da banda cantada em Inglês e Espanhol, o que podemos esperar da banda para a nossa JMJ 2013 aqui no Rio de Janeiro?
Wellington Greve: Na verdade a nossa grande preparação é o nosso coração entregue junto com a Jornada, lá em Madri foi uma experiência sensacional, você vê que a igreja que você conhece é muito maior do que imagina, e você tem que estar muito bem preparado e entregue para que você faça parte desse grupo chamado Igreja Católica Apostólica Romana. A nossa preparação é essa, mas é claro que estaremos com o nosso show novo o “Latitude, Longitude”, então “vamo que vamo”.

E vocês estão com música nova que foi feita especialmente para Jornada Mundial da Juventude, com a participação especial do Jonny da banda de Pop Rock Católica Via 33?
Wellington Greve: Sim, a música se chama Aurora, ela foi lançada em fevereiro junto com o clipe dela e fará parte do repertório do “Latitude, Longitude”

Como é a vida religiosa do Rosa de Saron além da banda e das turnês? Vocês tem uma vida pastoral dentro de uma paróquia? Frequentam com certa frequência alguma paróquia? Ministram pregações em encontros voltados a juventude? Enfim como é o dia-a-dia cristão do Rosa de Saron além da banda?
Eduardo Faro: Então, aqui na banda cada um é de um lado da cidade, nós não participamos da mesma paróquia, no passado nós éramos de uma comunidade, participávamos da mesma paróquia, mas ai foi mudando a formação da banda entrando pessoas novas, ai hoje participamos cada um de uma paróquia bem diferente uma da outra. E engajar em uma pastoral a gente não consegue mais, porque assim, todas as pessoas que se propõe a participar de uma pastoral com seriedade tem que ter disponibilidade, não adianta a gente dizer que estaremos lá fazendo alguma coisa, sem termos disponibilidade e tempo de estarmos colaborando, então a gente colabora meio que por fora, mas sem poder participar ativamente por conta da falta de disponibilidade. A minha esposa toca em missas com um ministério de música, toca na paróquia e tal, mas a gente assumir um compromisso pastoral a gente não tem tempo pra isso infelizmente, mas cada um tem a sua missão, e nós temos a nossa.

Há 25 anos, o Rosa de Saron era o pioneiro na evangelização através do Rock, hoje como vocês analisam esse cenário? Há espaço para as bandas do gênero? E a igreja hoje é mais tolerante ao estilo, ou ainda existe o velho preconceito de que o Rock não evangeliza?
Eduardo Faro: Eu acho que isso foi quebrado, no inicio era uma coisa nova e naturalmente tudo que é novo tem uma certa resistência até provar pra que veio, é natural que tenha uma resistência. A gente com 25 anos de carreira cometemos diversos erros também, chegamos a optar por algumas coisas que não foram boas, mas a gente vai aprendendo todo dia, tenho certeza que a gente vai errar muito ainda também. Mas hoje eu acho que o preconceito terminou, não existe mais, e eu acho que o pessoal de fora vê é se o trabalho é sério ou não, não tem mais essa de se é Rock, Pop ou Axé; Hoje temos cantoras de axé, bandas de axé, pagode, samba cristão, acho que hoje não tem esse preconceito de estilo não.

Existe ainda uma grande parcela considerável de fãs do Rosa de Saron na sua fase Heavy Metal do início da carreira, há planos da banda de fazer algo voltado para esse publico, como um show especial com o set-list com canções daquela época?
Guilherme de Sá: Não, nunca mais, vá procurar outra banda (Risos)
Rogério Feltrin: Não, a gente não tem esse projeto não, nós somos uma banda muito aberta as coisas em relação a nossa trajetória, mas não temos nenhum projeto relacionado a esse sentido.

Eu tietando a banda no final da entrevista kkk

Eu tietando a banda no final da entrevista kkk

O SHOW


No último sábado dia 13 de abril, aconteceu em nossa Diocese, o show da banda Rosa de Saron no Centro de Evangelização Arca da Aliança em Várzea Paulista. O evento foi organizado pelos jovens da Paróquia São João Bosco do Eloy Chaves em prol a ida à Jornada Mundial da Juventude em Julho no Rio de Janeiro.
A festa se iniciou as 19:00 com a apresentação do Pe. Zéton, intitulado como o “Primeiro Padre DJ da América Latina”, que com muito carisma e unção agitou a multidão presente com versões Remix de grande clássicos da música católica como: Reunidos Aqui, Católico, Invocamos e entre outros.
Horas depois se confirmava o grande momento em que todos os presentes aguardavam: Rogério Feltrin (Contrabaixo), Eduardo Faro (Guitarra), Grevão (Bateria) e Guilherme de Sá (Voz, Guitarra e Violão), o Rosa de Saron se apresentava pela quinta vez em menos de cinco anos na cidade de Várzea Paulista, e dessa vez com um imenso privilégio, éramos os primeiros a receber o show da banda após a gravação do mais novo DVD do conjunto – de título “Latitude, Longitude” – gravado em Belo Horizonte e a ser lançado no próximo semestre.
Com uma superprodução visual e de iluminação a banda inicia a apresentação com a canção “Jamais Será Tarde Demais” do mais recente álbum “O Agora e o eterno” animando todos os presentes que cantavam os versos da música a plenos pulmões, alias essa demonstração imensa de carinho dos fãs da banda se fez presente durante todo o show.
O show prosseguiu com as canções “Vendetta! Vendetta!”, “O Meio e o Fim”, “O Sol da Meia Noite”, “Acenda a Luz”, “Sem Você”, “Meu abandono”, “Sem Ninguém”, “Última Lagrima”, além do mais novo sucesso do grupo “Maquina do Tempo” que ganhou uma versão inusitada com batidas eletrônicas. Canções de artistas seculares, mas com mensagens positivas também se fizeram presentes na apresentação do Rosa de Saron, como a canção “Open Your Eyes” da banda de Rock Irlandesa “Snow Patrol” além de “Mais uma Vez” parceria de Flavio Venturini e Renato Russo, já presente no repertório do grupo desde o DVD “Horizonte Vivo Distante”.
Os cinco anos que o CD/DVD “Acústico e Ao Vivo” completam esse ano foram lembrados em um set-list especial com as canções: Monte Inverno e Rara Calma.
No entanto o ponto máximo da apresentação foi antes da canção “Menos de um Segundo”, onde foi exibido no telão um vídeo com o testemunho da Sra. Carolina de Freitas, Tia do vocalista Guilherme de Sá, que no decorrer de sua vida passou por diversas situações desesperadoras, perdendo toda a sua família – três filhos e o esposo – em situações trágicas e em um curto intervalo de tempo, e mesmo diante de tanta dor ela nunca desistiu de ter fé.
“Casino Boulevard” a primeira canção de trabalho do mais recente álbum “O Agora e o Eterno” foi desenhando o final do show, que encerrou de forma sublime com o maior hit da carreira do grupo “Do Alto da Pedra”.

Parabéns aos organizadores do evento e a todos os envolvidos que trabalharam de forma honrosa nessa festa que com certeza foi um marco na história evangelizadora da Juventude da Diocese de Jundiaí.

Anúncios
comentários
  1. Alexandra disse:

    Ai Fíla arrasou na entrevísta,igual eles que arrasaram no show.

  2. Rodrigo disse:

    Gostei muito da entrevista. Parabens!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s