Homenagem

Adeus Jair Rodrigues…

Jair

Muitos vão achar que trata-se de mais um texto oportunista, virão com aquela ladainha que depois que morre todo mundo vira santo, mas na verdade é do mais puro e sincero da alma o que escrevo nessas linhas mal traçadas, são sentimentos de uma pessoa que cresceu ouvindo toda obra musical de Jair Rodrigues graças ao bom gosto musical dos meus pais, quantos almoços de família aos domingos não foram embaldos ao som do LP Orgulho de um Sambista, uma das obras primas do músico? Me recordei da alegria do meu pai quando ainda garoto aprendi a tocar finalmente no violão Deixe isso pra lá, o grande sucesso musical de Jair e uma das canções favoritas do meu velho.
Enfim Jair Rodrigues sempre foi assim, sinônimo de alegria contagiante, de risos sem fim,e  agora fica difícil imaginar um mundo sem a sua presença.
Parceiro de Elis Regina, em uma entrevista a um programa que homenageava a diva da musica popular brasileira Jair disse a seguinte frase:
– Se eu pudesse pedir alguma coisa para Deus, seria: “Por favor, deixa a Elis descer um pouquinho aqui para cantar uma musiquinha comigo?”.
Ele foi ao seu encontro Elis, cante sem fim com esse homem…

Enumerei aqui alguns momentos especiais do Jair Rodrigues para mim:

Festival da Música Brasileira
Foi na efervescência da Ditadura Militar que a Musica Popular Brasileira, a MPB teve o seu boom revelando um numero sem fim de artistas e compositores da melhor qualidade, e justamente nessa época que aconteciam os Festivais da Canção, exibidos na TV Excelsior e Rede Record, que apresentavam para o todo Brasil, as novas vozes da música brasileira, vozes que são relevantes até hoje como Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto Carlos, Nara Leão, a já citada Elis Regina e além é claro dele: Jair Rodrigues.
Em 1966 na segunda edição do Festival Jair Rodrigues ao lado do Trio Maraiá e Trio Novo, dividiu o prêmio de primeiro lugar com a dupla Chico Buarque e Nara Leão interpretando a canção Disparada, composição de Geraldo Vandré e Théo de Barros.
A canção virou hino do cancioneiro sertanejo, e a transbordante interpretação de Jair ficará para sempre na memória:

Um dos momentos mais engraçados desse festival e obviamente contendo o mestre Jair, foi durante a interpretação da canção A Banda, a música a princípio seria interpretada apenas pela grande cantora Nara Leão, porém como a voz dela era baixinha e pequenina havia o risco de muitos não entenderem o que ela estava cantando, então o diretor artístico do festival o Manoel Carlos, hoje autor de novelas, teve a ideia de Chico Buarque, o compositor da canção, começar cantando a musica só a voz e violão, e depois Nara entraria com a banda completa, assim foi feito, só que enquanto Chico se apresentava, um jovem Jair invadia o palco puxando o Chico de canto para ele sair e Nara brilhar no restante da canção, hilário.

Orgulho de um Sambista
Ah esse disco… quantas alegrias esse álbum já me deu… Quantas vezes ouvi… tentei achar o mesmo completo na internet para ilustrar aqui na postagem mas infelizmente não encontrei, mas siga com a faixa título, composição do genial Gilson de Souza.
Tente de qualquer jeito ouvir essa obra prima da música brasileira.

Rock In Rio 3
Na terceira edição do festival Rock In Rio que aconteceu em 2001, o sambista Jair Rodrigues foi escalado para tocar logo no primeiro dia do evento na Tenda Brasil, uma espécie de palco secndário, porém o seu show foi (como sempre) de primeira qualidade, colocando o publico todo pra dançar, sorrir e cantar junto clássicos como Disparada, Orgulho de um Sambista, Coisinha do Pai e Deixa isso pra Lá.
No final do show a plateia urrava gritos de: “Ei, ei, ei Jair é nosso rei”, e depois das pífias apresentações de Daniela Mercury, James Taylor e até mesmo de Sting no palco principal, Jair foi eleito o melhor show daquela noite.

Banda da Torcida
Sou Corinthiano fanático, mas não poderia deixar de registrar esse momento aqui no blog, no ano de 2009 no programa Alta Horas da rede Globo, apresentado por Serginho Groisman, a cada sábado um time era homenageado com a banda da torcida, formado por músicos torcedores do time, e quando o Santos FC foi homenageado, Jair Rodrigues ao lado de Toni Tornado, o saudoso Champignon e Pelado ex-baixista e baterista respectivamente do Charlie Brown Jr, Zeca Baleiro entre outros nomes, formaram a banda do Santos, e o mestre Jair, mestre da irreverencia, botou pra quebrar.
Para os Santistas e fãs do Jair, aqui vai a minha singela homenagem.

Festa Para um Rei Negro
Comemorando 70 anos de vida e 50 de carreira, Jair Rodrigues lançou em 2009 o CD/DVD Festa Para um Rei Negro, curiosamente o nome do samba enredo da Acadêmicos do Salgueiro gravado por Jair em 1971.
O show foi uma verdadeira festa comandada por Jair e com participações especiais de mais variados estilos, desde os sertanejos Chitãozinho & Xororó, passando por grandes nomes do samba: Alcione e Jorge Aragão e caindo no Rap com o Rapper Happin Hood, além de apresentar a nova Musica Popular Brasileira capitaneada pelos os seus filhos Jair de Oliveira e Luciana Melo e seus amigos Pedro Mariano, Simoninha e Max de Castro.
Um festa sem hora pra acabar comandada pelo Rei Negro.

 

E fica aqui a nossa homenagem a esse grande ícone que a música brasileira acaba de perder, mas que ficará eternizado em nossos corações, afinal a obra e o legado sempre permanece.

Valeu cachorrão, deite na rede bem gostosa e descanse no paraíso.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s