Parabéns Stevie Wonder

Publicado: 13 de maio de 2014 em Especial, Homenagem
Tags:, , , , , , , ,

Stevie-Wonder-foto-1

Hoje dia 13 de Maio de 2014, o maior artista vivo de todos os tempos completa 64 anos de vida, Stevland Hardaway Morris, ou simplesmente Stevie Wonder.
Quem me conhece e acompanha o blog sabe a devoção que tenho pelo Rock n’ Roll como um todo, mas o meu interesse pela música de modo geral não existiria se não fosse por esse grande homem. Stevie Wonder foi o primeiro artista que ouvi desde o ventre de minha mãe que era fã assídua do musico e possuía diversos discos do artista em sua coleção, me recordo quantas brincadeiras na infância foram embaladas ao som de Stevie, quantas vezes eu com a embalagem de shampoo em mãos como um microfone interpretei clássicos de Wonder como Isn’t She Lovely e I Just Called To Say I Love You debaixo do chuveiro para desespero do meu pai que temia a alta conta de energia e água. Como esquecer da minha mãe ganhando de presente de dia das mães do meu pai o LP Jungle Fever de Stevie e nós todos sentados ao lado da vitrola ouvindo o disco com uma imensa satisfação. Em 1994 eu estava no pré primário e na sexta-feira tínhamos que levar brinquedo e lanche para o intervalo e quem quisesse poderia levar um LP ou uma fita K7 de sua preferência para servir de trilha sonora do nosso momento de lazer e ao contrário do restante da classe que levava a trilha sonora da TV Colosso, ou os abomináveis discos da Angélica e Xuxa, eu levei o Characters do Wonder para alegria da minha professora que ficou abismada com o meu gosto musical.
Enfim são tantas histórias, tantos momentos especiais que a música de Stevie esteve presente em minha vida, em minha história que pra mim ele é seguramente o melhor artista de todos os tempos.

Podemos classificar a história música em dois Períodos, Pré-Stevie Wonder e Pós-Stevie Wonder, pois ele alterou bruscamente o conceito de fazer musica, influenciando diversos gêneros e incorporando varias influências em suas composições, Stevie moldou a maneira de se fazer Soul Music, tornando uma canção acessível e até mesmo comercial, mas sem perder a integridade e musicalidade que estilo exige.
Stevie Wonder começou a carreira como Little Stevie Wonder aos 9 anos de idade, deficiente visual de nascença mas com grande aptidão musical tocando inúmeros instrumentos musicais como Piano, gaita e bateria foi contratado pela grande gravadora voltada para música negra, a clássica Motown, onde permanece até hoje, e em 1962 lançou o seu primeiro álbum The Jazz-Soul of Little Stevie Wonder com interpretações para grandes clássicos do Jazz, seguido do álbum Tribute to Uncle Ray (Tributo ao Tio Ray) que era um homenagem do pequeno Stevie para o seu ídolo Ray Charles, muito sagaz foi a Motown que aproveitou os falsos rumores que Stevie Wonder era sobrinho de Ray Charles devido a deficiência visual para intitular o álbum dessa maneira.
Decadas se passaram e Stevie abandou o alcunha Little passou a se chamar apenas Stevie Wonder e se tornou um dos maiores artistas já existentes, com numero sem fim de hits, com 25 prêmios Grammy incluindo 3 de melhor álbum (Innervisions, Fulfillingness’ First Finale e Songs in the Key of Life) e influenciando gerações. Artistas da moderna Black Music atual como Kayne West, Jay Z e sua esposa Beyoncé intitulam Wonder como uma influencia suprema. As contribuições de Wonder para música negra influenciou o RAP americano, basta ouvir a famosa canção Gangsta’s Paradise do Rapper Coolio que notará a semelhança com outra grande canção de Stevie.
Stevie Wonder foi o primeiro artista negro de R&B declarar um admirador de Rock e ao longo da sua carreira gravou sucessos de Beatles, Bob Dylan e The Doors, além de ter excursionado com os Rolling Stones e ter feito uma parceira de sucesso ao lado de Paul McCartney no anos 80 com a canção Ebony and Ivory, ganhando assim respeito e admiração dos fãs do gênero.
Enfim artista completo que merece ser cultuado, homenageado e reverenciado, e exatamente isso que irei fazer aqui no meu humilde blog, selecionei dentro de sua vasta discografia os meus álbuns favoritos do Stevie Wonder afim também de apresentar para aqueles que ainda não conhecem (se é que tem alguém) a obra e o legado de Stevie.
Para não cometer injustiças não colocarei por ordem de preferência mas por ordem cronológica, então vamos lá:

Os Melhores Discos de Stevie Wonder, por Fila Benário

Up-Tight (1966)
220px-Uptightsteviewonder

Um dos primeiros discos que marca a transição do “Pequeno Stevie Wonder” para o jovem e igualmente talentoso Stevie Wonder. Up-Tight carrega em sua veia sonora o pique das grandes big bands de Jazz de New Orleans, com muitos instrumentos de sopros, levadas jazz e um Stevie de voz jovial e adocicada interpretando Love songs como Pretty Little Angel e Love a Go Go, e a poderosa soul music Ain’t That Asking For Trouble com os tradicionais coros gospel.
Outros destaques de Up-Tight ficam por conta da versão de Stevie para o clássico de Bob Dylan Blowin’ In The Wind que conta com a participação especial de compositor e produtor Clarence Paul. E Também para canção Uptight (Everything’s Alright) que além de ser uma das melhores do álbum posteriormente ela rendeu para Stevie Wonder um ganho na ação judicial movida por ele contra a banda britânica Oasis, que plagiou o refrão da canção, na música Step Out da banda, ouça as duas versões e compare.

For Once In My Life (1968)
Foronceinmylife
Com a produção mais primorosa que a de Up-Tight, For Once In My Life já estampava no próprio título o primeiro grande Hit de Stevie Wonder, a faixa título foi um sucesso instantâneo e moldou a carreira de Stevie.
O restante do álbum segue a bombástica fórmula de R&B como em Shoo-Be-Doo-Be-Doo-Da-Day, I Wanna Make Her Love Me além da balada soul arrasa quarteirão Don’t Know Why I Love You.

My Cherie Amour (1969)
220px-Mycherieamour

O primeiro grande sucesso comercial de Stevie Wonder, estampando logo de cara dois grandes sucessos da carreira do músico: Yester-Me, Yester-You, Yesterday e óbviamente a faixa título, uma das mais perfeitas baladas já composta e interpretada por Stevie Wonder.
O disco ainda conta com a dançante At Last com uma maravilhosa linha de contrabaixo, além de You And Me e uma versão sensacional para o clássico Light My Fire do The Doors.

Signed, Sealed & Delivered (1970)
220px-Signedsealeddelivered

Aqui Stevie Wonder começa a alçar novos voos em sua estonteante carreira, Signed, Sealed & Delivered é o cruzamento entre a sonoridade alegre e marcante do Jazz no ínicio da sua carreira com uma Soul Music mais madura e intimista.
Os principais destaques do álbum são Never Had a Dream Come True, Heaven Help Us All, Anything You Want Me To Do, além da dançante e genial Sugar e da faixa título que se tornou o grande sucesso do álbum.
Porém o grande destaque de SSD fica por conta da versão lisérgica para We Can Work It Out dos Beatles, que na versão de Wonder ganhou peso, punch e swing.

Music Of My Mind (1972)
220px-Music_of_My_Mind_cover

O álbum que marca a transição musical na carreira de Stevie Wonder, que abre mão dos instrumentos de sopro, das melodias jazz alto astral e embarca em um álbum psicodélico com uso de sintetizadores e talk box, o que já fica bem claro na abertura com a lisérgica Having You Around e passando pelo hit Superwoman (Where Were You When I Needed You), aqui em sua versão original com cerca de oito minutos de duração.

Talking Book (1972)
220px-Talking_Book

Lançado no mesmo ano que o seu antecessor, é considerados por muitos a maior obra prima de Stevie Wonder pelo simples fato de conter uma das músicas mais importantes da sua carreira: Superstition, porém Talking Book vai além do disco que contém Superstition, o disco é uma longa viagem pelas membranas celulares onde cada canção parece tocar em diferente região do cérebro. A abertura fica por conta do também sucesso You Are The Sunshine Of My Life, passando pelas experimentais Maybe Your Baby e Big Brother e pela belíssima balada Blame It On The Sun.

Innervisions (1973)
220px-Steviewonder_innervisions

Innervisions rendeu a Stevie Wonder o seu primeiro de três prêmio grammy na categoria álbum do ano, e a sua magnitude o faz render merecidos elogios, aplausos e reverencias. Assim como nos dois álbuns anteriores (Music Of My Mind e Talking Book) todos os instrumentos foram gravados por Stevie Wonder que já tinha um domínio e controle suficiente para produzir canções do tamanho de Higher Ground, o principal sucesso do álbum, além de Living For The City e Don’t You Worry Bout a Thing.
Discasso!!!

Songs In The Key Of Life (1976)
220px-Songs_in_the_key_of_life

Para muitos é o melhor disco de toda a carreira de Stevie Wonder, e faz sim por onde merecer esse título. Album duplo, ele conta ao todo com dezessete faixas e não seria exagero afirmar que mais da metade dele tornou hit, quer uma prova? Sir Duke, I Wish, Isn’t She Lovely, Knocks Me off My Feet, As e  todas essas canções de tamanha importância na carreira de Stevie Wonder integram Songs In The Key Of Life que ainda conta com uma faixa instrumental virtuosa: Contusion, além Pastime Paradise de onde o Rapper Coolio buscou inspiração para o seu grande sucesso Gangsta’s Paradise.
Fundamental em qualquer discoteca que se preza.

Hotter Than July (1980)
220px-Hotter_July
Após a feia escorregada com o disco anterior Journey Through the Secret Life of Plants, Stevie Wonder recuperou a boa forma e lançou esse grande sucesso que em poucas semanas de vendas conquistou disco de platina.
Hotter Than July vem recheado de sucessos desde a abertura com Did I Hear You Say You Love Me, passando por All I Do, As if You Read My Mind, e a bela balada Lately que aqui no Brasil ganhou inúmeras versões em português.
O Reggae Master Blaster (Jammin’) é uma homenagem de Stevie Wonder para o amigo Bob Marley com quem ele dividiu o palco em uma apresentação na Jamaica um ano antes do lançamento  do disco.

In Square Circle (1985)
220px-Stevie_Wonder_In_Square_Circle_CD_cover

Stevie Wonder chega nos anos 80 usando e abusando de recursos eletrônicos como sintetizadores e bateria eletrônica, influencias da sonoridade new wave da época, assim a sua encorpada Soul Music apresenta uma faceta pop comercial, mas mesmo assim o produto final não foi prejudicado já que o álbum conta com o sucesso Part-Time Lover, e as baladas Whereabouts e Overjoyed sendo essa última uma das mais importantes de sua carreira (e uma das minhas favoritas).
O disco ainda conta com a canção protesto Its Wrong (Apartheid), que criticava ferozmente o regime de segregação racial na Africa do Sul.

Characters (1987)
220px-Stevie_characters

O famoso disco que eu levei no meu pré-primário e arranquei suspiros da minha professora, segue a mesma formula do seu antecessor, R&B com pinceladas pop mas com canções poderosas do tamanho de You Will Know, With Each Beat Of My Heart, One Of a Kind, Skeletons e Get It que conta com a participação mais do que especial de ninguém mais ninguém menos que Michael Jackson, uma forma de retribuir a participação que o próprio Stevie Wonder fez no mesmo ano no álbum Bad de Michael na canção Just Good Friends.
Na versão deluxe do álbum há a faixa bônus Come Let Me Make Your Love Come Down que conta com as participações mais do que especiais de B.B. King e Stevie Ray Vaughan.

Jungle Fever (1991)
220px-Jungle_Fever_soundtrack
A trilha sonora do anárquico filme Febre na Selva do diretor Spike Lee conta com 11 músicas inéditas de Stevie Wonder compostas exclusivamente para o filme, entre elas Fun Day, These Three Words, Each Other’s Throat, além da faixa título responsável pela abertura do filme e da canção If She Breaks Your Heart que conta com a participação especial da cantora Kimberly Brewer.

A Time To Love (2005)
220px-Stevie_Wonder_A_Time_2_Love

O último álbum de estúdio de Stevie Wonder lançado há quase dez anos, chega moderno, dançante e mostrando o porquê de Stevie Wonder ser um dos artistas mais importantes do século e o porquê ele influência gerações.
De destaques temos a abertura charmosa com If Your Love Cannot Be Moved, além do hip-hop So What The Fuss, além da participação especial de Aisha Morris, sua filha, nas canções Positivity e How Will I Know.

Pra finalizar o texto, se eu pudesse escolher 5 momentos especiais do Stevie Wonder para mim, seriam esses:

1º Lugar:
Jam Session com o Rolling Stones cantando Uptight e Satisfaction.

2º Lugar:
Stevie Wonder e Sting cantando juntos Higher Ground e Roxanne do The Police.

3° Lugar:
Rock In Rio 2011 – Só Deus sabe o quanto me emocionei assistindo esse show de casa.

4º Lugar:
Participação Especial do Stevie Wonder no acústico do Babyface.

5º Lugar:
Participação especial de Stevie Wonder tocando gaita na música Samurai do Djavan.

Felicidades Stevie Wonder, quem ganha com o seu aniversário somos nós!!!

 

 

 

Anúncios
comentários
  1. […] obra de Stevie Wonder. No dia do seu aniversário em 2014, eu escrevi um texto mais do que especial aqui, contando a sua trajetória, selecionando os meus discos favoritos de sua vasta discografia e […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s