Especial Fistt 20 Anos

Especial Fistt 20 Anos – (Parte V) – Oba Records: a Casa do Fistt

logooba
Indo pra quinta parte do nosso especial em comemoração aos 20 anos da banda jundiaiense (SP) de Hardcore, Fistt, hoje nós vamos contar um pouquinho da história do selo Oba Records, criado pelo F. Nick, vocalista da banda, a princípio para lançar os trabalhos do Fistt, porém com o passar dos anos o selo foi crescendo e se tornou uma referencia para música independente no início do milênio.
A Oba Records foi fundada exatamente no ano de 1998, e o seu primeiro lançamento foi justamente a segunda demo-tape do Fistt, a Paraotempo. No mesmo ano a gravadora lançou também as demo-tape das bandas Kaktus Erctus (Volta as Aulas), Estado Alterado (Pobre Assalariado) e do genial Burt Reynolds (Is It Right? Is It Wrong?) famosa guitar band de Jundiaí que continua na ativa até presente data. A primeira Demo Tape do Fistt a Çonzeira que foi lançada no ano de 1996, também foi reeditada e lançada via Oba Records no seu ano de fundação.
No ano seguinte foi a vez do tradicional Avéia Kuaker, também de Jundiaí, lançar a sua primeira demo-tape via Oba Records intitulada de HC na Véia, e foi no mesmo ano que a Oba Records produziu o seu primeiro cd, e adivinha de qual banda? Sim, o Fistt, com o álbum Pamim, Panóis, Pocêis que compilava as duas primeiros da banda.
A partir daquele momento a Oba Records passou progredir aceleradamente e as mais importantes bandas da cena independente integraram o cast da gravadora: Killi, Alternative System, Positive System, Instinto, Seven Elevenz, Charlieroad, Cueio Limão, Self Defense, FHA, Worms, Iupi, Nosux, Vinte! além da italiana Kalashnikov só pra citar algumas.
Na virada do milênio a Oba Records teve o privilégio de lançar o mais recente cd na época de uma das mais importantes bandas de Punk Rock dos anos 80, Os Replicantes. E aproveitando a febre Emo na época, bandas do gênero como Shif e Vida tiveram os seus primeiros trabalhos lançados via Oba Records.

Escolhi abaixo dez disquinhos fundamentais lançados pela Oba Records para que você possa conhecer e cultuar; A grande maioria infelizmente está fora de catalogo, mas é possível achar nos 4 Shared da vida.
A lista está em ordem cronológica, e como destrinchei toda a discografia do Fistt em post atrás, os nossos herois da roça ficarão de fora dessa listinha:

Os Dez Melhores Discos da Oba Records por Fila Benário:

1 – Varios – 30 Segundos é Muito (2001)
maxresdefault
E já começamos a lista com esse projeto ousado onde F. Nick reuniu nada mais nada menos 138 bandas em um único cd, mas com um diferencial, cada uma tocando apenas 30 Segundos!!! Exatamente: apenas 30 Segundos, e já foi  suficiente pra esse cd ser cultuado pelo país todo e ser um fenômeno de venda na cena independente.
Entre as 138 bandas presentes tem o Sick Terror do Nene Altro do Dance Of Days, o Killi, ACK, Positive System, Emo. e o próprio Fistt com a seminal 2 e 10.

2 – Kalashnikov – Bandiera de Bruciare (2001)

A primeira e unica banda internacional do cast da Oba Records chegou chegando, os Italianos do Kalashnikov apresenta um Punk Rock sisudo, agressivo, mas interpretado com ar angelical graças aos belos vocais da vocalista Cinzia. Porém diferente dos seus inúmeros conterrâneos que compõem canções em inglês, o Kalashnikov canta tudo em sua lingua nativa, o que deixa o trabalho ainda mais sensacional de se apreciar.
Os principais destaques do EP Bandiera de Bruciare são Isanti Crudeli della GiovenezzaBerlino est 1980.
Lindo e impactante

3 – Alternative System – Meus Sonhos (2002)
1090270299_f
Vinda também do interior paulista (Itapira), a banda Alternative System quando lançou esse debut álbum já tinha 9 anos de carreira.
Como o próprio título deixa claro, o álbum é a realização de um sonho tanto da banda quanto de F. Nick que sempre declarou ser um admirador da sonoridade do conjunto que alterna entre o veloz Hardcore melódico e momentos de amenidade emocional.
Meus Sonhos conta com os grandes clássicos da banda como Homosapiens, Esquecimento, Aparencia, Guerra Civil e Ignorar, essa ultima o Fistt regravou em seu terceiro cd Vendo as Coisas Como Você (2004).

4 – Killi – Menos Um (2002)
2008-10-19 13-49-06_0026
Um dos meus cds favoritos da Oba Records, o Debut álbum do grupo paulistano Killi liderado pelo casal Mariana e Paulinho vem recheado de canções com levadas Poppy punk adocicadas graças a voz graciosa e angelical de Mariana.
São 12 faixas de letras sussurradas e conflitos teenager, tudo muito bem tocado e sincero.
Os principais destaques ficam para os hits: Que Horas São, Engano, Deixa Eu Dormir e a sensacional Eu Não Gostei de Ver Você (Porque Você Não Sai Daqui?), além da Pop Longe do Abrigo e uma versão Punk do clássico Estupido Cupido de Celly Campelo.
Que mané Paramore o que, é Killi na Veia!!!

5 – Avéia Kuaker – Difícil de Esquecer (2003)
dificil-de-esquecer-W320
E o grande Avéia Kuaker de Jundiaí finalmente lança o seu primeiro cd.
Difícil de Esquecer vem trazendo o que a banda faz de melhor, um Hardcore Melódico bem na linha Face To Face e Pennywise com letras confessionais e teenager, tudo isso aliado ao vocal choroso (no bom sentido) do grande Chiquinho, a lenda jundiaiense.
Difícil de Esquecer é o grande carro chefe do disco ao lado do grande hino da banda HC na Véia que retrata a história de uma senhora que se incomodava com o barulho causado pelo ensaio dos garotos.
Hilário.

6 – UTC – EP (2003)
utc
O UTC com certeza era a banda mais pesada do cast da Oba Records, também de Jundiaí, o Quinteto trazia em sua sonoridade muita influencia do pesado Hardcore Nova Iorquino de bandas como Madball e Agnostic Front.
Esse EP de apenas quatro músicas serve como aperitivo para mostrar o grande poder de fogo que a banda tinha nos palcos.
Impossível escolher uma unica canção, na duvida fique com todas: Quem Perdeu, Mudanças, Só Mais Uma Canção e Pessoa Pura.
Importante ressaltar que o UTC foi a banda que projetou o guitarrista Rudy para a cena alternativa e esse por sua vez deixou a banda para integrar o Fistt, e esse por sua vez foi substituído pelo Bauer que na época ainda era Guitarrista do Fistt, assim completando a “brodagem”.

7 – Cueio Limão – Quem Matou o Bozo? (2004)
Quem matou o bozo
Depois do Finais Iguais… do Fistt esse é o meu cd favorito da Oba Records. Quem Matou o Bozo? foi o cd que projetou o Cueio Limão para o cenário nacional.
Fazendo uma linha melódica e muito bem tocada, a banda aloprava nas letras cheia de referencias a desenhos e seriados antigos, além de piadas internas como o caso de Prego que narra a história de um jovem que não tem intimidade nenhuma com o Skate, mas tem desejo de ser Skatista.
Todas as canções do cd Demo Hardcore do Mato estão presentes em Quem Matou o Bozo? porém repaginadas.
Destaque para Mario que conta com os Backing Vocals de F. Nick.
Sensacional

8 – FHA – Pulgueiro In California (2004)
pulgueiro-in-california-W320
A primeira vez que o ouvi a banda paulistana FHA foi justamente no quartel general da Oba Records, estava eu lá uma linda tarde comprando um cd do Dance Of Days enquanto F. Nick fazia a arte do cartaz de um show que iria acontecer em Jundiaí dias seguintes com a participação do Fistt, UTC, Want One, No Reason At All, Ted Bear e o FHA. Como essa banda era a unica que eu desconhecia, eu tratei de perguntar quem era, e Nick sem pensar duas vezes me colocou o video clipe da canção Radicalismo Total da banda pra eu assistir, e ali começou o caso de amor, fui ao citado show, vi a banda In Loco, adorei (ainda mais a versão Hardcore que eles fizeram de Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio? dos Ramones), comprei o cd e logo fiz amizade com o pessoal, Carlinhos era uma figuraça, gente finíssima.
E o cd é um pancada, porradas como Capitalismo e Discriminação se encontra com hilarias como a já citada Radicalismo Total e a faixa título.
No ano de 2005 o Baterista Nene comete suícidio e tempos depois a banda encerra as suas atividades…

9 – Havana 55 – Rádio Espetáculo (2004)
a3461457162_2
Foi em um Oba Fest – Festival Anual da Gravadora – em 2004 que eu conheci o Havana 55 e ali foi paixão a primeira ouvida, diferente do que estava rolando na época que era uma massiva sonoridade Emocore, o Havana simplesmente resgatou toda a simplicidade do Rock n’ Roll dos anos 50, é possível encontrar na sonoridade dos garotos elementos de Beach Boys, Beatles, Buddy Holly e até mesmo Ramones circa Leave Home, e o melhor, tudo (muito bem) cantado em Português.
Uma pena foi eu ter perdido o cd (ou me levaram embora) e agora ele estar fora de catalogo.

10 – Os Replicantes – Go Ahead (2005)
capa_goahead
O próprio F. Nick me confidenciou que estava de bobeira um dia na tradicional Galeria do Rock em SP e encontrou com ninguém mais e ninguém menos que Wander Wildner dos Replicantes por lá, e entre uma conversa e outra Wander contou que a banda havia gravado um cd mas que não encontrava gravadora nenhuma para lançar, sem ao menos pedir ele jogou o trabalho na mão de Nick e disse:
– Oh lança a gente ai no seu selo.
E esse cd virou Go Ahead, um grande álbum que resgata toda a história de uma das mais emblemáticas bandas de Punk Rock da década de 80 em canções novas como Falcatrua e clássicos revistados como O Futuro é Vortex.
Talvez foi esse o último grande lançamento da Oba Records, sem contar os álbuns do Fistt é claro.

Se deliciem cambada, amanhã tem mais…

Ao som de Killi – Deixa Eu Dormir

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s