Os 20 anos de Pulp Fiction e sua trilha sonora matadora!!!

Publicado: 14 de outubro de 2014 em Cinema, Especial
Tags:, , ,

thumbnail_poster_color-PulpFiction_11r2_Approved_640x360_141767235537

E hoje faz exatos vinte anos do lançamento do melhor filme de toda história da indústria cinematográfica (na minha humilde opinião), a grande obra-prima Pulp Fiction do mestre Quentin Tarantino.
Lançado no dia 14 de Outubro de 1994, Pulp Fiction, não passava de uma produção independente de Tarantino após o relativo sucesso do seu primeiro longa, Cães do Aluguel (1992). Com o roteiro escrito em parceria Roger Avary, e com time de estrelas no elenco como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis e a estonteante Uma Thurman, Pulp Fiction causou tamanho frison no circuito Hollywood sendo indicado a sete prêmios oscar, incluindo o de melhor filme. Acabou faturando o de melhor roteiro original, além da palma de ouro em Cannes na mesma categoria.
Trazendo uma história não linear, baseado nas revistas Pulp, famosas nas décadas de 70 onde traziam história repletas de sangue e violência, o enredo de Pulp Fiction gira em torno de quatro histórias que se interligam entre si, a primeira cena, um prólogo, já é um emocionante assalto dentro de uma cafeteria protagonizado pelo casal Pumpkin (Tim Roth) e Honey Bunny (Amanda Plummer). Na próxima cena entram em ação os gangsters Vincent Veja (John Travolta) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) à captura de uma maleta a pedido do seu chefe Marsellus Wallace (Ving Rhames), e Vincent recebe a árdua tarefa de acompanhar a esposa de Marsellus à um passeio a pedido do próprio chefe.
O capitulo seguinte, o mais eletrizante narra a história do pugilista Butch Coolidge (Bruce Willis), que fora contratado por Marsellus Wallace para perder uma luta, porém ele não só ganha como mata o seu combatente, e no meio da fuga do poderoso mafioso ele se dá a falta do Relógio de Ouro herdado de seu pai.
O Capitulo final é um complemento do que aconteceu no resgate da maleta no primeiro capitulo, e o epílogo volta pra primeira cena do assalto na cafeteria, apresentando agora o seu desfecho.
Totalmente subversivo e inconseqüente, Pulp Fiction joga na cara dos telespectadores mais de duas horas de violência explicita, além de uma cena de overdose de perder o fôlego, um estupro homossexual, tudo temperado com diálogos muito bem sacados, humorados e até mesmo uma passagem bíblica fictícia citada por Samuel L. Jackson por duas vezes durante o filme e que se tornou uma das frases mais importantes da história do cinema.
Porém com tudo isso Pulp Fiction ainda tem um ingrediente mais do que especial, a sua trilha sonora matadora que se resume à grandes clássicos da Surf Music, do Rock n’ Roll, além da Soul Music.
Em diversas entrevistas Quentin Tarantino ressaltou que a música é um elemento tão importante dentro de um filme como o próprio elenco, e ainda revela que ele próprio faz a escolha do repertório e que a grande maioria das músicas são retiradas de discos de vinil da sua coleção pessoal e o som captado de uma vitrola, pra assim dá mais vivacidade tanto à cena como à trilha, e agradando ao diretor que gosta de ouvir suas canções prediletas da forma original.
E em Pulp Fiction, Tarantino não economizou, foi logo montando um repertório de primeiro escalão que se comunica muito bem com as cenas e os principais diálogos do filme, esses alias, principalmente os mais memoráveis, são eternizados em algumas faixas do álbum.
O álbum da trilha sonora foi lançado no dia 27 de setembro de 1994 e o sucesso foi enorme chegando a ocupar a 21ª posição da Billboard 200.

Segue abaixo, na minha humilde opinião, as melhores e mais marcantes canções desse grande filme:

Misirlou – Dick Dale
A citada cena de abertura do assalto na cafeteria é rapidamente cortada pelo letreiro com o nome do filme e por essa eletrizante canção do mestre Dick Dale, tido para muitos como o criador da Surf Music em meados dos anos 50.
A versão repaginada da canção feita exclusivamente para o filme de Tarantino foi um sucesso, tocando diretamente nas rádios na época, ignorando complemente as restrições impostas pelas mesmas em relação às músicas instrumentais.
Mais tarde o Black Eyed Peas, grupo da estonteante Fergie, lançou a música Pump It, que tinha Misirlou como tema incidental.

Jungle Boogie – Kool & The Gang
Kool & The Gang, os reis do Funk, aparecem na trilha de Pulp Fiction com a dançante Jungle Boogie. Lançada originalmente em 1973 no álbum Wild and Peaceful, o quarto disco da banda, no filme ela dá seqüência aos créditos iniciais, logo após Misirlou, e segue na próxima cena tocando no carro dos personagens Vincent Vega e Jules Winnfield, onde eles conversam sobre as viagens na Europa de Vega.

Let’s Stay Together – Al Green
Outro grande clássico da música negra americana em Pulp Fiction, o hit Let’s Stay Together, canção arrasa quarteirão composta e interpretada pelo Soulmen (e reverendo) Al Green, lançado originalmente em 1971, no álbum homônimo.
A canção embala o longo dialogo do chefão do crime Marsellus Wallace com o pugilista Butch Coolidge pedindo para que ele perca a luta, porém o combinado não ocorre.
Let’s Stay Together passou a ser mundialmente conhecida com a versão feita pela Tina Turner no álbum Private Dancer em 1983.

Son Of A Preacher Man – Dusty Springfield
E mais um pertardo da Soul Music, dessa vez britânica, na trilha de Tarantino. A inglesa e genial Dusty Springfield canta e encanta com o seu clássico Son Of A Preacher Man, enquanto Vincent Vega vai à casa de Mia Wallace e espera ela acabar de se arrumar para enfim ambos saírem.

You Never Can Tell – Chuck Berry
E Rock n’ Roll classico aparece no filme com a versão insana de You Never Can Tell do guitarrista Chuck Berry na cena mais famosa do cinema, a cena onde Vincent Vega e Mia Wallace dançam no concurso de twist na lanchonete Jack Rabbit Slim’s.

Girl, You’ll Be a Woman Soon – Urge Overkill
Ao lado de Misirlou, foi uma das canções mais tocadas nas rádios na época, alavancando ainda mais as vendas da trilha sonora do filme.
Belíssima, intrigante, genial e geniosa a versão de Urge Overkill para o clássico Girl, You’ll Be a Woman Soon de Neil Diamond, é cultuada até hoje, e dentro do filme ela embala a cena mais instigante, a sofrível overdose de Mia Wallace.
Foi o principal sucesso e single da trilha sonora e ficou 59ª Posição da Billboard.

Rumble – Link Wray
Citada por Jimmy Page (guitarrista do Led Zeppelin) como a sua canção favorita, no documentário A Todo Volume (2009), Rumble do genial guitarrista Link Wray, também entra na trilha de Pulp Fiction, servindo de fundo para cena onde Mia Wallace e Vincent Vega conversam na lanchonete Jack Rabbit Slim’s.
A música não entrou no álbum da trilha sonora na época, mas foi incluída na edição de colecionador lançada anos depois, que além de Rumble, a nova versão da trilha contava com mais três canções não incluídas no primeiro lançamento.

Flowers On The Wall – The Statler Brothers
Depois de recuperar o seu relógio de ouro, Butch volta dirigindo alegremente cantando uma canção que tocava em seu carro, até atropelar o mafioso Marcelus que estava à sua captura. A música que fazia a alegria de Butch até dado momento era o country Flowers On The Wall, do grupo The Statler Brothers, famoso grupo formado nos anos 50 que servia até então como backing vocal do grandioso Johnny Cash, até se firmarem como músicos autorais e uma banda de sucesso.

Surf Rider – The Lively Ones
E Pulp Fiction encerra da mesma que forma que começou, de volta a cena do assalto na cafeteria e com surf rock instrumental de trilha, e dessa vez a canção escolhida foi a viajante Surf Rider do The Lively Ones, grupo instrumental de Surf Rock, surgido na Califórnia na década de 50 e que fez muito barulho na cena musical na época justamente com essa canção.

Em tempo: No dia 23 de Maio desse ano, parte do elenco original de Pulp Fiction – a atriz Uma Thurman e o ator John Travolta – além do diretor Quentin Tarantino estiveram em Cannes para assistir uma exibição exclusiva do filme, nas comemorações dos vinte anos de lançamento.
E na chegada no tapete vermelho, Tarantino, acompanhado de Uma repetiram a famosa dança de Vincent Veja e Mia Wallace, para delírio dos presentes.
"Clouds Of Sils Maria" Premiere - The 67th Annual Cannes Film Festival

Parabéns Pulp Fiction, o melhor filme da história do cinema.
Parabéns Quentin Tarantino, só por ter feito essa obra prima, e ter selecionado essas canções incríveis, você é o maior de todos.

1810840

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s