Beatriz Sanz Fala, Fila Benário Fala, Homenagem

E lá se foi o músico mais talentoso (e problemático) da Legião Urbana…

Renato Rocha
A morte de Renato Rocha – ex-Baixista da formação clássica da Legião Urbana – no último final de semana pegou a todos de surpresa, mas já era premeditada vide a situação do músico nos últimos anos.
Quem acompanhou alguns anos atrás a matéria sensacionalista do programa Domingo Espetacular da emissora do Pastor Macedo, sabia da recente situação de Negrete. Viciado e morador de rua, a mídia deitou e rolou no assunto, os ex-legionários Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá apareceram na imprensa dizendo que tentaram prestar todo tipo de ajuda que foi recusada pelo próprio Renato, e no final das contas o filho único do Renato Russo, ex-líder da Legião, o jovem Giuliano Manfredini custeou o tratamento do músico em uma clinica de reabilitação em São Paulo.
Com a morte inesperada, os principais portais da internet noticiaram a trajetória problemática de Renato Rocha e emitiram as falsas notas de sentimentalismo barato de Dinho Ouro Preto (Capital Inicial) e do próprio Dado. Mas em nenhum site, em nenhum canal de TV, em nenhum texto foi sequer lembrado e mencionado a genialidade musical de Renato Rocha, o único músico hábil e técnico da fraca e pífia em termos musicais Legião Urbana.
Renato entrou na banda em 1984, quando a Legião ainda era um trio com Renato Russo no baixo e vocal. Após a tentativa de suicídio de Russo ao cortar os pulsos, Negrete que já era amigo de Bonfá nos tempos de Brasília, fora convidado para integrar a banda e fazer as gravações do primeiro cd da banda. Mostrando ser um excelente músico, Renato Rocha ficou com a vaga e gravou os outros dois álbuns mais importantes (na minha opinião) da Legião Urbana: Dois (1986) e Que País é Este? (1987)
Na assinatura do contrato para gravação do célebre disco As Quatro Estações, Renato Rocha foi simplesmente expulso da banda. Muito já se falou dos motivos da saída de Renato Rocha da Legião Urbana, uso abusivo de álcool e drogas, atraso nos shows etc. Porém a desculpa mais escabrosa, e vinda do músico mais medíocre da Legião Urbana foi do Marcelo Bonfá que durante as entrevistas para o especial Acústico MTV gravado em 1992, mas lançado em  1999 disse que Negrete saiu por não ser um bom músico: “A música saia da bateria e quando chegava no baixo, não ia adiante” e ainda completou: “com o Renato (Russo) assumindo o baixo nas gravações de As Quatros Estações ficou bem melhor”. Discordo com D maíusculo Sr. Bonfá, com Renato Rocha na banda as linhas de baixo eram perceptíveis e davam a tônica no ralo instrumental da banda que se resumia na mesma batida de bateria e nos pobres dedilhados de Villa Lobos que tentava a todo custo emular um Johnny Marr. Se Renato Russo foi grande vocalista isso não há dúvidas, mas no que diz respeito à composição o que ele fazia nada mais era que pegar trechos de poemas, sonetos, livros e musica-los, resta dúvidas? Pega a “original” letra de Monte Castelo toda tirada da carta de São Paulo aos Coríntios com o Soneto de Camões.

Segue abaixo o meu playlist pessoal com os melhores momentos do Renato Rocha na Legião Urbana


Acompanhe abaixo um texto especial da Beatriz Sanz sobre a morte do genial Negrete

Ainda é cedo, Negrete

Renato Rocha 2

No último domingo (22), foi encontrado o corpo de Renato Rocha, ex-baixista do Legião Urbana. Foi-se o segundo Renato de uma das maiores bandas do rock nacional.
Negrete, como era carinhosamente chamado, foi co-fundador da banda, ao lado de seu xará Renato Russo, Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos. Participou dos três primeiros álbuns da banda, “Legião Urbana”, “Dois” e “Que País é Esse?”.
Depois de sair do Legião, Renato perdeu a luta para o vício em drogas, chegou a morar nas ruas e ficou afastado da mídia. Quando se internou em uma clínica de reabilitação, voltou a fazer shows no “Urban Legion”, uma banda de tributo ao Legião Urbana.
Rocha estava passeando com uma amiga no litoral paulista, quando sofreu a parada cardíaca que lhe tirou a vida. Poucos sabem que ele também era compositor, então a lista abaixo é de músicas do Legião que foram co-compostas por ele, incluindo grande sucessos como “Mais do Mesmo” e “Quase sem querer”. Vá em paz, Negrete!

Perfil - Bia Sanz

 

CURTA A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Anúncios

2 comentários em “E lá se foi o músico mais talentoso (e problemático) da Legião Urbana…”

  1. Nossa, como ousas a sujar o nome de uma das melhores bandas brasileiras que já teve, se não a melhor!
    Limitado trata-se de suas matérias, ao contrário de legião, que foi um sucesso incrível, você diz que músicas como faroeste de caboclo, ainda é cedo, por enquanto e etc saíram de onde? Bom não de uma mente limitada como a sua! algumas opiniões devem ser guardadas só para si, e como você tem a liberdade de lança-las, e eu também, você é uma equivocada que não faz ideia do que diz, Negrete foi um grande integrante, mas não foi graças a sua “genialidade” que a Legião entrou em ascensão certo?

    Pense antes de escrever! Com seu post você insultou uma lenda!

    1. Como você mesmo disse, todos nós temos a liberdade de expressar as idéias. Eu expressei as minhas sob o meu ponto de vista e você as suas. No entanto a imaturidade da sua parte começa quando não tem coragem de assinar o seu próprio texto. Eu dei a minha cara pra bater, você se esconde atrás da sua covardia, Sr. Não Importa

      Infantilidade, a gente vê por aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s