Como sobrevivemos seis anos sem o Oasis?

Publicado: 31 de agosto de 2015 em Fila Benário Fala, Homenagem
Tags:, , ,

Oasis

Há exatos seis anos eu escrevia uma matéria bem detalhada aqui no Fila Benário Music a respeito da bombástica notícia que pegou todos os fãs de Oasis de surpresa, a saída do guitarrista e compositor Noel Gallagher da banda.

No texto (que você pode ler aqui) eu já anunciava precocemente o fim da banda e explicava tal teoria, já que Noel era o principal compositor da banda, era a cabeça e coração do conjunto britânico que conquistou todo mundo nos anos 90 fazendo o seu pastiche musical do melhor da British Invasion circa 1960.
Enfim, eu não estava errado, Liam Gallagher, vocalista do grupo, irmão e eterna rixa de Noel, até que tentou continuar com a banda, mas meses depois, no mesmo e conturbado ano de 2009, ele anunciou o fim das atividades do Oasis.

É claro que de toda separação sempre surgirão bandas e projetos solos, essa sempre será a regra a musical, dos fim dos Beatles nasceram 4 carreiras solos emblemáticas, a cada formação de desmontada do Deep Purple, um novo grupo era formado, vide o Whitesnake do vocalista David Coverdale. E o mesmo aconteceu com o Oasis, com o fim da banda, após 15 anos de atividades, Liam, e os integrantes remanescentes: Gem Archer (Guitarra), Andy Bell (que era baixista no Oasis, mas naturalmente era um guitarrista) e Chris Sharrock (Bateria) formaram o Beady Eye e logo trataram de lançar o seu debut álbum, Different Gear, Still Speeding (2011), para sair primeiro na briga de quem era melhor.

Beady Eye

Já Noel Gallagher, aproveitou o período para tirar umas férias ao lado da família, acompanhou os jogos do seu time do coração, o Manchester City, mas logo ele também anunciaria a sua nova empreitada musical: o Noel Gallagher’s High Flying Birds.

Noel Gallagher's High Flying Birds

Noel Gallagher’s High Flying Birds

As carreiras solos dos irmãos “Caim e Abel” foram essenciais para explicitar a influência de cada um dentro da banda, enquanto o Beady Eye de Liam, era mais roqueiro, urgente, e trazia toda aquela aura sessentista que fizeram o Oasis serem taxados de ” Os Novos Beatles” nos anos 1990. O High Flying Birds do Noel, vinha repleto de baladas, canções melodiosas e com toque eletrônicos e ousados.

Beady Eye – Beatles and Stones

Noel Gallagher’s High Flying Birds – If I Had a Gun

O Beady Eye até que tentou sobreviver mais um pouco, lançou um segundo disco, BE, que chegou a entrar na nossa lista dos melhores álbuns de 2013 (leia aqui), mas a falta de paciência do seu líder ao perceber que o seu grupo não tinha o mesmo alcance e relevância do seu ex-conjunto, fez com que a banda terminasse as atividades no ano seguinte.

Dadas as circunstâncias, o fã mais otimista do Oasis já sonhava com o retorno do grupo, ainda mais levando em consideração que no ano de 2014 a banda comemorava o 20º aniversário de lançamento do seu primeiro disco Definitely Maybe (1994), e nesse ano, a sua maior obra prima, (What’s the Story) Morning Glory? (1995) também completa duas décadas.

Liam, que não é bobo e nem nada, já deu a deixa que quer reunir com o irmão e reativar o ex-grupo. Porém, Noel não demonstra nem um pingo de interesse, e pra ajudar, o seu High Flying Birds acabou de lançar mais um álbum, Chasing Yesterday, que vem sendo bastante elogiado pela crítica especializada e com isso a banda saiu em turnê.

Resumindo, se um dia teremos uma volta do Oasis? Só o tempo dirá. Mas analisando hoje esse cenário musical, no qual bandas de eletropop chinfrim, vide: Imagine Dragons, Bastille, Capital Cities, Mumford and Sons, Vampire Wekeend, MGMT são nomeadas como a nova esperança e salvação do Rock, eu me pergunto todos os dias: “Como sobrevivemos seis anos sem o Oasis?”. Que falta que me faz aquele rock com guitarras, qual outra banda tinha a coragem de chegar na mídia e afrontar a maior instituição do Rock n’ Roll dizendo – mesmo que não passasse de uma piada – : “Somos melhores que os Beatles?”. Enquanto hoje Anitta imita Beyoncé descaradamente, Sam Smith faz plágio de Tom Petty, e Pharrell Williams de Marvin Gaye, mas os três afirmam não passar de uma coincidência. O Oasis após plagiar na cara dura a musica de uma propaganda da Coca em Shakermaker, ao ser questionado disse: “Agora nós só tomamos Pepsi”.

Enfim, sinto falta da anarquia causada pelos Gallagher, em meio a esse bom mocismo chato e inoperante que assola o cenário musical atual.
Não é atoa que eu já estou “educando” e apresentando o Oasis às novas gerações, no ano passado mesmo, ao descobrir que a pequena Heloísa, filha da minha professora (e também editora do blog Formando Focas) Patrícia Paixão, estava começando a se interessar por rock, mais do que depressa eu dei de presente para a guria o (What’s the Story) Morning Glory?, para ela já ir criando intimidade e não ser coagida para o lado Imagine Dragons da força.

Helô com o seu ‘(What’s the Story) Morning Glory?’

Portanto, ressaltando a importância do legado da banda que eu selecionei aqui algumas versões de canções do grupo feitas por outros grandes artistas:

Foo Fighters – Lyla

Weezer – Morning Glory

Sum 41 – Morning Glory

Cartel – Wonderwall

Chris Martin (Coldplay) com Noel Gallagher – Live Forever

Coldplay – Songbird

Jake Bugg – Slide Away

Lily Allen – I’m Outta Time

The Pretty Reckless – Champgne Supernova

The Pretty Reckless – Supersonic

Radiohead – Wonderwall

Ryan Adams – Wonderwall

Metallica – Wonderwall (Lars no vocal)

Capital Inicial – Wonderwall

OBS: Simplesmente sumiu da internet uma versão mais do que sensacional do Aerosmith para Champgne Supernova.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s