MUITO ALÉM DO BUG DO MILÊNIO #08: Spend The Night – The Donnas (2002)

Publicado: 17 de março de 2016 em Muito Além do Bug do Milênio
Tags:, , , , ,

The Donnas Spend Night

DISCO: Spend The Night
BANDA: The Donnas
LANÇAMENTO: 22 de outubro de 2002
ORIGEM: Estados Unidos
GÊNERO: Hard Rock/ Punk Rock
FORMAÇÃO DO DISCO: Brett Anderson (Vocal), Allison Robertson (Guitarra e Backing Vocals), Maya Ford (Baixo e Backing Vocals) e Torry Castellano (Bateria e Backing Vocals)
PRODUCÃO: Jason Carmer (Third Eye Blind, Laura Pausini e Kimya Dawson) e Robert Shimp (R.E.M., The Mr. T Experience e The Plus Ones).
INDICADO PRA QUEM GOSTA DE: Kiss, Ramones, AC/DC, Motley Crüe, The Runaways, Guns N’ Roses e Rolling Stones.

HISTÓRIA

Donnas

A carreira das Donnas começou na cidade californiana de Palo Alto, nos Estados Unidos no ano de 1993. Amigas de colégio, Brett Anderson, Allison Robertson, Maya Ford e Torry Castellano, todas com 14 anos, resolveram usar as suas habilidades musicais (que não eram muitas na época) para montar uma banda de Rock. Completamente influenciadas por Ramones, o estilo musical das garotas era um Punk Rock reto, simples e de três acordes e com letras que retratavam o cotidiano juvenil da época. As canções caíram nas mãos da gravadora Lookout!, a mesma que revelou o Green Day para o mundo, mais do que depressa elas assinaram contrato com a mesma e em 1997 lançaria o seu primeiro disco, autointitulado, que trazia claramente a sua devoção ao Ramones, com a melodia das canções, a duração das músicas e até a capa parecida.

Pela Lookout vieram mais três lançamentos American Teenage Rock And Roll Machine (1998) Get Skintight (1999) e Turn 21 (2001), e foi justamente o último disco que deu uma nova guinada na sonoridade das meninas, do Punk simples para o Hard Rock californiano de Warrant e Motley Crue, mas sem toda aquela farofada. Turn 21 fez um grande sucesso no circuito americano que chamou a atenção da gravadora Atlantic Records que fez questão de assinar com as Donnas.

E foi no ano seguinte, com a dupla de produtores Jason Carmer e Robert Shimp, sendo que o último já havia trabalhado com as garotas em seus dois últimos álbuns, que as Donnas redefiniram completamente a sua carreira gravando um dos discos mais pesados, técnicos e supremos da história da banda. E foi justamente no dia 22 de outubro de 2002 que Spend The Night chegou às lojas e já causando um imenso estardalhaço ficando na posição 62º da Billboard, logo na semana de lançamento, além de tirar nota máxima nos mais importantes veículos impressos musicais, como Alternative Press, Allmusic e Hot Press. Além de ganhar três de cinco estrelas da Rolling Stone e ter sido classificado como “Um disco divertido, muito bem gravado e importante para época, apesar das letras sacanas”.

Spend The Night também marcou a entrada da banda no mercado brasileiro, já que foi o primeiro disco das Donnas a ser comercializado por aqui. Assim elas se tornavam as “Donnas do mundo”.

FAIXA A FAIXA

1 – It’s on the Rocks
Um Hard Rock poderoso com um forte riff de guitarra à Angus Young na introdução sendo acompanhado pela bateria batendo na Campana (também conhecido como “sino da vaca”).
Abertura melhor que essa? Impossível.

2 – Take It Off
Take It Off é a canção que define toda a carreira das Donnas. Um Hard Rock festeiro com uma letra sacana na qual a garota está no comando e pede para o seu parceiro tirar a roupa logo. Tudo isso embalado a um pesado riff de guitarra aprendido na escola de Ace Frehley.

3 – Who Invited You
Mantém o pique e a velocidade da anterior, sendo a guitarra mais uma vez o destaque principal. Ponto para Allison Robertson, mas também para a mixagem de Chris Lord-Alge que deu um brilho e destaque a mais no instrumento, deixando ele pesado em todas as canções.
Outro grande destaque em Who Invited You são os Backing Vocals no refrão feitos pelos integrantes do The Hellacopters, banda que já abordamos aqui nessa coluna.

4 – All Messed Up
Mais uma vez a guitarra e o “sino da vaca” dão a partida em uma introdução, dessa vez em All Messed Up, que tem uma dinâmica de refrão muito parecida com It’so Easy do Guns N’ Roses.

5 – Dirty Denim
O Punk Rock, que foi a sonoridade primária das Donnas, finalmente dá as caras em Spend The Night na canção Dirty Denim. Mas nem pense se tratar daquela banda quadradona e de três acordes que tocava Teenage Runaway e Hey i’m Gonna Be Your Girl. Em Dirty Denim o espírito Punk aparece em formato de velocidade e andamento, mas dentro dos padrões de qualidade dessa nova reencarnação da banda.

6 – You Wanna Get Me High
Um Rock n’ Roll básico tocado com fúria na bateria que leva praticamente a canção toda no prato de condução.

7 – I Don’t Care (So There)
O deslizar das teclas do piano na introdução denúncia o que vem a seguir, um Rock n’ Roll festeiro no qual Brett Anderson canta que tentou beijar um cara no ginásio, o mesmo não quis e que ela nem se importa com isso.

8 – Pass It Around
Guitarras, Guitarras e mais Guitarras! É assim que podemos definir Pass It Around, logo na introdução Allison toca um power chord com raiva, acompanhada pela bateria de Torry Castellano que espanca os pratos de ataque. No meio da música, logo após o segundo refrão, Allison nos presenteia com um dos melhores solos da sua carreira. A guria sabe bem o que faz.

9 – Too Bad About Your Girl
Começa com uma batida eletrônica acompanhada pelo sólido baixo de Maya Ford, mas uma virada espetacular na bateria faz a canção cair em um delicioso Punk Rock 77. E a música segue brincando com essa métrica: ora eletrônica, ora Punk.

10 – Not the One
Um Beat on the Brat dos Ramones tocado na introdução, mas com muito mais peso na guitarra. Ouça e confira.

11 – Please Don’t Tease
Essa canção se parece muito com os Rolling Stones fase Exile on Main St. (1972). A começar da introdução tocada na guitarra, limpa, sem distorção, lembrando os famosos riff de Keith Richards. A melodia da canção é total Stones com Brett Anderson fazendo graças com a voz assim como Jagger. Linda canção.

12 – Take Me to the Backseat
Take Me to the Backseat volta ao padrão Spend The Night de qualidade, um Hard Punk veloz com guitarras pesadas e a letra mais do que sacana:

Eu não quero ir ao shopping
Não quero ir ao cinema
Eu acho que nós já fizemos tudo
Só me leve para o banco de trás
.

13 – 5 O’Clock in the Morning
E Spend The Night termina como começou e como foi durante todo o álbum, com a guitarra reinante de Allison Robertson fazendo um riff mais do que sensacional e técnico na introdução e depois solando como nunca após o segundo refrão.
Grande canção, grande disco.

O THE DONNAS HOJE

Donnas 2

Spend The Night levou a sonoridade e a carreira das Donnas a outro patamar, passando a integrar line up de imensos festivais pelo mundo como o Rock am Ring na Alemanha. Teria tudo para banda ser as próximas Runaways e influenciar gerações, mas no próximo disco elas deram um grandioso tiro no pé. Gold Medal (2004) veio pomposo demais, mais suave, mais Pop e apesar de boas canções, nem de longe lembrava aquela banda festeira, divertida e roqueira de Spend The Night.

Quando a banda se ligou e voltou a fletar com Hard Rock em Bitchin’ (2007), já era tarde demais, o reinado havia passado e elas suscitavam apenas uma lembrança agridoce de uma banda que surgiu no final dos anos 90, teve o seu ápice no início do novo milênio e nada mais que isso.

Em 2009, a banda sofreu a sua primeira e única baixa, a saída da baterista Torry Castellano para tratar-se de um problema crônico no ombro, para o seu lugar entrou a baterista Amy Cesari.

Até o instante momento, o The Donnas não lançou nenhum disco novo e tem feito pouquíssimos shows, não abandonou o barco, mas também não se houve barulho do mesmo.
Aqui fica a nossa torcida para um retorno como nos velhos tempos, afinal, esse Rock certinho e careta demais que assola os nossos ouvidos atualmente merece uma dose cavalar de sacanagem e atitude que só essas garotas têm.

Até quinta que vem.

Veja as colunas anteriores:
#01: By The Grace Of God – The Hellacopters (2002)
#02: Contraband – Velvet Revolver (2004)
#03: Relationship of Command – At The Drive-In (2000)
#04: Does This Look Infected? – Sum 41 (2002)
#05: Siren Song Of The Counter Culture – Rise Against (2004)
#06: Auf Der Maur – Melissa Auf Der Maur (2004)
#07: Jennie Bomb – Sahara Hotnights (2001)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s